Terremoto de 7 graus mata seis no Japão

Pelo menos 144 ficaram feridos; água radioativa vaza de dois reservatórios da planta nuclear de Fukushima

Agências internacionais,

14 de junho de 2008 | 09h35

Um tremor de sete graus na escala Richter atingiu na sexta-feira, 13, o norte de Honshu, a principal ilha do Japão. Pelo menos seis pessoas morreram e cerca de 144 ficaram feridas.   Veja também: Entenda como acontecem os terremotos    De acordo com a agência de pesquisas geológicas americana US Geological Survey, o epicentro do terremoto teria atingido a província de Akita, a uma profundidade de 10 quilômetros. O tremor foi sentido também em cidades nos arredores e na capital, Tóquio, que fica localizada a 390 quilômetros ao sul do epicentro do terremoto.   Os trens de alta velocidade tiveram de ser interrompidos. Vários litros de água radioativa vazaram de dois reservatórios na planta nuclear de Fukushima. Os operadores da planta disseram que não há risco ao ambiente. Outras duas usinas nucleares nas redondezas foram inspecionadas e nenhum perigo foi detectado, segundo as autoridades.   Entre as seis vítimas estão um homem que saiu correndo de um dos prédios e foi atropelada por um caminhão, quatro pessoas que foram soterradas e um trabalhador da construção civil que foi atingido por uma pedra em uma represa, segundo a agência nacional de polícia do país.   Cerca de 100 pessoas teriam ficado soterradas em lama após um deslizamento. O chefe do gabinete do governo japonês, Nobutaka Machimura, disse a jornalistas em Tóquio que uma pessoa morreu em um deslizamento provocado pelo terremoto na cidade de Iwaki. Além disso, houve outros acidentes nas estradas e nas pontes da região, que foram as infra-estruturas mais castigadas pelo terremoto e que deixaram isoladas mais de 160 pessoas nos arredores de Kurihara, segundo a rede de televisão TBS.Um ônibus foi afetado por um deslizamento de terra na cidade de Oshu e 20 pessoas ficaram soterradas, mas todas já foram resgatadas, segundo a agência local de notícias Kyodo. Outras 23 pessoas ficaram feridas em Oshu quando o ônibus em que estavam capotou na estrada quando ia ao aeroporto de Sendai, próximo à área afetada.   Segundo o canal de televisão local NHK, o tremor também atingiu uma creche na cidade de Oshu e os estilhaços das janelas teriam causado ferimentos em algumas das crianças e em pelo menos uma das professoras.   O primeiro-ministro japonês, Yasuo Fukuda, ordenou poucos minutos depois do terremoto a formação de um grupo de emergência, segundo Machimura, e as operações de resgate já começaram, embora possam ser prejudicadas pela chuva que cai sobre o nordeste japonês.As Forças de Autodefesa do Japão e o Serviço de Guarda Costas se desdobraram a pedido das autoridades de Iwate e Miyagi, enquanto 147 equipes de resgate de Tóquio e 12 de outras províncias foram enviadas aos pontos mais afetados pelo terremoto.   O Japão está sobre uma das áreas sísmicas mais ativas do mundo. O terremoto mais grave ocorrido recentemente foi em Kobe (oeste do país), em 17 de janeiro de 1995, com uma magnitude de 7,3 graus na escala Richter, que deixou mais de 6 mil mortos.     (Com BBC Brasil, Efe e Associated Press)

Mais conteúdo sobre:
terremotoJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.