Reprodução Google Maps
Reprodução Google Maps

Duas pessoas morrem após evacuação de área afetada por terremoto no Chile

Ação de retirar pessoas do local se deu por possibilidade de tsunami, que foi descartada minutos depois

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de janeiro de 2019 | 01h10

SANTIAGO - Duas pessoas morreram após evacuação realizada por conta de uma ameaça de tsunami, na região de Coquimbo, no noroeste do Chile. A ação, que foi rapidamente cancelada, aconteceu depois que um terremoto, com magnitude de 6,7 graus na escala Richter, atingiu a área. Segundo autoridades locais, a hipótese de tsunami foi descartada. 

De acordo com a Oficina Nacional de Emergência (Onemi), uma das pessoas que morreu estava em um restaurante na área e sofreu uma parada cardiorespiratória quando a evacuação começou. A outra também morreu devido a um infarto, na região de La Serena, sem mais detalhes das autoridades. 

 

A Onemi determinou a evacuação preventiva de regiões litorâneas de Coquimbo dois minutos depois do terremoto, registrado às 22h32, horário local, diante do risco de tsunami. Pouco depois, o Serviço Hidrográfico e Oceanográfico do Chile (Shoa) determinou que o terremoto não reunia as condições necessárias para gerar um tsunami, cancelando a ordem de evacuação. 

O Centro Sismológico Nacional (CSN), da Universidade do Chile, detalhou que o epicentro do terremto se deu a 13 quilômetros ao leste de Tongoy, na região central de Coquimbo, a cerca de 430 quilômetros ao norte da capital do país, Santiago, e teve seu hipocentro a 50,1 quilômetros de profundidade, no oceano Pacífico.

O terremoto foi registrado a 15,6 km do sul-sudoeste de Coquimbo, de acordo com o centro  de Pesquisa Geológica dos Estados Unidos (USGS), e fez com que prédios da capital chilena balançassem. Ao todo, o abalo foi sentido em Atacama e Coquimbo, no norte do país, e Valparaíso, Metropolitana (que inclui a capital Santiago) e O'Higgin, no centro do Chile.

Embora haja registros esporádicos de quedas de energia em regiões próximas ao epicentro do terremoto, não há danos iniciais ou feridos reportados.  

Coquiombo viveu um tsunami, em setembro de 2015, por conta de um terremoto de 8,3 graus, que provocou cerca de uma dezena de mortos. EFE / AFP / REUTERS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.