Terremoto de magnitude 8,8 atinge o Chile

Um terremoto de magnitude 8,8 na escala Richter atingiu a região central do Chile neste sábado, sacudindo a capital Santiago por um minuto e meio e desencadeando um alerta de tsunami no Pacífico. Prédios desmoronaram e linhas telefônicas caíram, tornando difícil determinar a amplitude dos estragos.

AE-AP, Agencia Estado

27 de fevereiro de 2010 | 07h31

Pelo menos seis pessoas morreram, disse a presidente Michele Bachelet. "Temos um enorme terremoto", disse Bachelet, a partir de um centro de reação a emergências, num apelo para que os chilenos fiquem calmos. "Estamos fazendo todo o possível com todas as forças que temos. Toda informação será compartilhada imediatamente". Bachelet afirmou que notícias iniciais dão conta de que seis pessoas morreram, e que "sem dúvida, com terremoto dessa magnitude, haverá mais mortes".

Ela pediu que as pessoas evitem sair de carro, já que os sinais de trânsito estão desligados, para evitar causar mais baixas.

O tremor ocorreu às 3h34 da madrugada, informa a Geological Survey dos EUA. O epicentro do terremoto está a 115 km de Concepción, a segunda maior cidade do Chile, onde mais de 200 mil pessoas vivem ao longo do Rio Bio Bio, e a 90 km da estação de esqui de Chillan, uma porta de entrada para os resorts de neve dos Andes, e que foi destruída em 1939, num terremoto.

O Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico emitiu um alerta para o Chile e o Peru, e um aviso menos urgente para Equador, Colômbia, Panamá, Costa Rica e Antártida. Um tsunami também poderá atingir o Havaí mais à tarde.

O maior terremoto da história atingiu a mesma região do Chile, em 22 de maio de 1960. O tremor de magnitude 9,5 matou 1.655 pessoas e deixou 2 milhões de desabrigados.

Tudo o que sabemos sobre:
Chileterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.