Terremoto deixa ao menos 150 mortos no Paquistão

Abalo sísmico de 6,4 graus na escala Richter atingiu o noroeste do país; número de vítimas deve aumentar

Agências internacionais,

29 de outubro de 2008 | 07h20

  Pelo menos 150 pessoas morreram em um terremoto de 6,4 graus na escala Ritcher na província do Baluquistão, no sudoeste do Paquistão. O número de mortos deve aumentar enquanto chegam os relatos da destruição em áreas remotas da província afetada, localizada numa região pobre da fronteira com o Afeganistão.   Veja também: Entenda como acontecem os terremotos  Assista ao vídeo da AP sobre o resgate    Algumas horas depois, um novo terremoto atingiu a mesma região, alcançando 6,2 graus na escala Richter, de acordo com dados da entidade americana. Não há informações iniciais sobre danos e vítimas do segundo tremor, que foi sentido na cidade de Quetta e em áreas próximas no Paquistão e no vizinho Afeganistão. De acordo com autoridades locais, o número de vítimas do primeiro abalo sísmico pode aumentar à medida que chegarem informações procedentes de áreas remotas da província do Baluquistão, na fronteira com o Afeganistão.     Inicialmente, a zona mais atingida foi Ziarat, onde em cinco aldeias foram destruídas centenas de casas precárias, na sua maioria de adobe e madeira, segundo o prefeito Dilawar Kakar. Algumas casas foram encobertas por uma avalanche causada pelo sismo. "Há uma terrível destruição, nenhuma casa está intacta", disse Kakar.   O ministro da Silvicultura do Baluquistão, Maulana Abdul Samad, informou que pelo menos 150 pessoas morreram. Segundo Kakar, há centenas de feridos com maior gravidade e pelo menos 15 mil pessoas sofreram lesões leves. "Quero pedir ajuda a todo mundo. Necessitamos de comida, remédios. As pessoas precisam de roupa, cobertas, porque aqui faz muito frio", apontou o prefeito.   O Exército paquistanês informou ter despachado equipes médicas a bordo de helicópteros para os vilarejos na zona atingida. O epicentro do terremoto ocorreu 640 quilômetros ao sudoeste da capital, Islamabad. O Paquistão é sujeito a tremores intensos. Em outubro de 2005, um terremoto de magnitude 7,6 na escala Richter devastou a Caxemira e o norte do país, deixando perto de 80 mil mortos.   A província do Baluquistão abriga um antigo movimento separatista, mas não é considerada um campo de batalha importante na luta contra os rebeldes do Taleban que se espalham por outras regiões da fronteira.   Matéria atualizada às 11h45.

Tudo o que sabemos sobre:
terremotoPaquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.