Terremoto deixa ao menos 60 feridos no centro do Japão

Operações dos trens de alta velocidade e de reatores nucleares da usina de Hamaoka foram suspensas

Efe,

10 de agosto de 2009 | 23h46

Terremoto de 6,5 graus de magnitude na escala Richter sacudiu nesta madrugada a província de Shizuoka, no centro do Japão, e deixou mais de 60 pessoas feridas, algumas em estado grave, informou nesta terça-feira, 11, a agência de notícias local Kyodo.

 

A Agência Meteorológica do Japão emitiu imediatamente um alerta de tsunami para as ilhas Izu, que ficam na província de Shizuoka, pela possibilidade de ondas de até 0,5 metro de altura. Porém, apenas uma ligeira mudança no nível do mar foi registrada.

 

O terremoto, o segundo superior a 6 graus ocorrido no Japão desde domingo, aconteceu às 17h07 (Brasília) desta segunda-feira, e teve epicentro a 23 quilômetros de  profundidade na baía de Suruga, como informou a Agência Meteorológica do Japão.

 

Segundo a Kyodo, dois reatores nucleares da usina de Hamaoka, em Omaezaki, tiveram suas operações suspensas imediatamente, o que ocorreu também com o serviço do trem de alta velocidade Shinkansen, em regiões das províncias de Shizuoka e Nagano.

 

As autoridades locais confirmaram que, por enquanto, nenhuma morte foi registrada,  enquanto o número de feridos nas províncias do centro do país supera 60, alguns em estado grave.

 

O primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, determinou uma equipe de trabalho em seus escritórios para colher informações sobre o terremoto, que aconteceu justamente nas províncias que estão prestes a receber o tufão Etau, que já causou a morte de 13 pessoas no país.

 

Um lance de 100 metros da estrada de Tomei, em Makinohara, também no centro do Japão, afundou, e em outros pontos a superfície da estrada acabou erguida.

 

Em Omaezaki, vários encanamentos de água se romperam e, por isso, o fornecimento foi cortado na cidade, enquanto em Shizuoka, Kakeawa e Shimada foi paralisada a provisão de energia a cerca de 9.500 residências.

 

Atualizada às 0h50.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãoterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.