Terremoto deixa seis mortos e 45 feridos no leste da Indonésia

Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico adverte sobre a possibilidade de ocorrer um tsunami de alcance local

Efe,

26 de novembro de 2007 | 01h02

Pelo menos seis pessoas morreram e 45 ficaram feridas em um terremoto registrado na noite deste domingo, 25, na região de Sumbawa, no leste da Indonésia, confirmaram fontes oficiais. "Seis pessoas morreram e o número de feridos confirmados é de 45", informou Rustam Pakaya, chefe do centro de Emergência provincial, que acrescentou que o número de vítimas pode aumentar, informou o serviço de notícias Detiknews. O terremoto, que teve sua magnitude reduzida para 6,4 na escala aberta de Richter, ocorreu por volta das 23 horas (horário local) e teve seu epicentro registrado a 39 quilômetros da cidade de Raba, na província de Nusa Tenggara Ocidental. Como conseqüência, o Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico advertiu sobre a possibilidade de ocorrer um tsunami (onda gigante) de alcance local, que poderia atingir a costa em um raio de 100 quilômetros do epicentro. A região voltou a ser sacudida poucas horas mais tarde, por volta das 3 horas (horário local), por outro tremor de 6,3 graus de magnitude.O fato de o terremoto ter acontecido à noite dificultou as tarefas de assistência e evacuação das vítimas, por isso ainda não se conhece o número preciso de desabrigados. As autoridades reforçaram os serviços de atendimento médico da zona atingida e mandaram uma equipe de observação para avaliar os danos sofridos. Nas últimas 24 horas foi registrada uma grande atividade sísmica no arquipélago indonésio, com outros três potentes terremotos no sul da ilha de Sumatra: um de 6,1 graus, outro de 5 graus e um terceiro de 5,8 graus de magnitude. A Indonésia está situada dentro do chamado "Anel de Fogo do Pacífico", uma zona de grande atividade sísmica e vulcânica, e o país sofre cerca de sete mil movimentos telúricos por ano, sendo que a maior parte deles passa despercebida.

Tudo o que sabemos sobre:
Indonésiaterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.