Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Terremoto derruba casas na ilha de Sumatra

Um violento terremoto de magnitude 7,6 ocorreu na quarta-feira nos arredores da cidade de Padang, no litoral da ilha indonésia de Sumatra, destruindo casas e pontes e provocando incêndios, segundo uma testemunha. Ainda não se sabe se há vítimas.

REUTERS

30 de setembro de 2009 | 09h34

O tremor foi sentido em toda a região, e alguns edifícios comerciais altos de Cingapura, 440 quilômetros a nordeste, foram desocupados.

O Centro de Alerta para Tsunamis do Pacífico cancelou um alerta que havia sido emitido para a região,. O Japão disse não prever um maremoto em seu litoral.

"Centenas de casas foram danificadas ao longo da rua. Há alguns incêndios, pontes estão cortadas e há um pânico extremo aqui, talvez porque os canos d'água foram rompidos e há inundação nas ruas", disse uma testemunha da Reuters na cidade.

As linhas telefônicas também foram interrompidas.

Padang, capital da província indonésia de Sumatra Ocidental, fica sobre uma das falhas geológicas mais ativas do mundo, parte do chamado "Anel de Fogo do Pacífico".

Em 2004, um terremoto de magnitude 9,15, com epicentro a cerca de 600 quilômetros a noroeste de Padang, provocou o tsunami que matou 232 mil pessoas em 11 países banhados pelo oceano Índico.

O foco do terremoto de quarta-feira estava a 85 quilômetros de profundidade, segundo o Serviço Geológico dos EUA, que inicialmente apontou uma magnitude de 7,9, depois revista para 7,6.

Horas antes, vários tsunamis causados por outro terremoto atingiram o arquipélago de Samoa, no Pacífico, matando possivelmente mais de 100 pessoas, destruindo aldeias e ferindo centenas.

Geólogos há muito tempo dizem que a cidade de Padang, com 900 mil habitantes, pode ser destruída por um tremor de terra.

"Padang fica bem em frente à área com maior potencial para um terremoto de magnitude 8,9," disse em fevereiro Danny Hilman Natawidjaja, geólogo do Instituto Indonésio de Ciências. Ele alertou também que "a cidade inteira pode ser afogada" por um tsunami provocado por um terremoto dessa magnitude.

Várias partes do país propensas a terremotos realizam treinamentos regulares contra tsunamis, e o serviço nacional de desastres envia alertas por mensagem de texto aos celulares de quem solicitar.

Mas alguns especialistas têm dito que a Indonésia precisa tomar mais medidas para reduzir os riscos. No caso de Padang, seria necessário haver mais estradas e outras rotas de escape, afirmou neste ano Hugh Goyder, consultor da Estratégia Internacional de Redução de Desastres da ONU.

"A estrada segue paralela à costa, o que significa que em algumas áreas é difícil se afastar do litoral", disse Goyder, acrescentando que em uma região da cidade a única rota de fuga é uma ponte estreita.

(Reportagem de Telly Nathalia)

Tudo o que sabemos sobre:
INDONESIASUMATRATERREMOTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.