Terremoto mata cerca de 12 pessoas em Mianmar

Um forte terremoto sacudiu o norte de Mianmar neste domingo, danificando pontes, uma mina de ouro e templos budistas e deixando pelo menos 12 pessoas mortas. Segundo o Departamento Meteorológico do país, o tremor teve magnitude 6,8 e ocorreu no começo da manhã, em horário local. O epicentro foi localizado perto da cidade de Shwebo, a cerca de 117 quilômetros de Mandalay, a segunda maior cidade do país.

DANIELLE CHAVES, Agência Estado

11 de novembro de 2012 | 09h42

A região no entorno do epicentro é subdesenvolvida e os relatos de mortos e feridos estão sendo feitos por partes, majoritariamente pela imprensa local. A área é um importante centro de mineração e várias minas teriam entrado em colapso com o terremoto. Uma fonte da administração da cidade de Sintku afirmou que alguns dos mortos eram mineradores.

Também houve relatos de que algumas mortes aconteceram quando uma ponte em construção desabou a leste da cidade de Shwebo. A ponte estava 80% concluída e aparentemente todas as vítimas eram trabalhadores que construíam a ponte. "Esse foi o pior terremoto que eu senti na minha vida", disse Soe Soe, uma moradora da cidade de Shwebo, de 52 anos, à Associated Press.

A televisão estatal informou que mais de uma dezena de templos em cinco cidades foram danificados e em muitos deles a estrutura da cúpula desabou. A parte mais alta das cúpulas geralmente contêm relíquias de Buda, pequenas imagens dele e muitas vezes joias.

O terremoto foi sentido em Bangcoc, capital da vizinha Tailândia, e ocorreu apenas uma semana antes da programada visita do presidente reeleito dos EUA, Barack Obama, a Mianmar. Obama será o primeiro presidente norte-americano a visitar o país, que está emergindo de décadas de governo militar.

O desastre foi o segundo em três dias na região. Na sexta-feira um trem descarrilou a 128 quilômetros da cidade de Shwebo e pelo menos 25 pessoas morreram. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Mianmarterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.