Reprodução/Twitter/Defesa Civil do Peru
Reprodução/Twitter/Defesa Civil do Peru

Terremoto no sul do Peru deixa ao menos 4 mortos

Segundo a Defesa Civil, outras 30 pessoas ficaram feridas após o tremor na noite de domingo; número de vítimas pode aumentar segundo relatos não confirmados pelas autoridades

O Estado de S. Paulo

15 Agosto 2016 | 11h36

LIMA - Um terremoto de magnitude 5,2 na escala Richter durante a noite de domingo, 14, na província de Caylloma, na região de Arequipa, no sul do Peru, deixou ao menos 4 mortos e 30 feridos, informou o Instituto Nacional de Defesa Civil (Indeci). O primeiro relatório oficial do organismo afirmou que o tremor também deixou 40 edifícios, outras 40 casas, 1 templo religioso e 1 hotel destruídos.

O abalo sísmico afetou os distritos de Ichupampa, Chivay, Achoma, Yanque e Coporaque e, segundo o boletim do Indeci, aconteceu às 21h58 de domingo (23h58 de Brasília), com seu epicentro registrado a dez quilômetros a sudoeste de Chivay e o hipocentro a oito quilômetros de profundidade.

De acordo com as informações disponíveis na manhã desta segunda-feira, três pessoas morreram em Yanque e uma em Achoma. As vítimas são uma mulher de 80 anos, outra de 70 anos, uma menor de idade e um estrangeiro que ainda não foi identificado.

A governadora regional de Arequipa, Yamila Osorio, afirmou que as informações sobre vítimas e feridos, assim como dados sobre os danos estruturais, ainda não podem ser confirmadas em razão da distância dos povoados afetados, localizados a mais de 3,4 mil metros acima do nível do mar.

"Temos informações sobre feridos e mortos que também não foram confirmadas. Preliminarmente falamos em três vítimas em Achoma e seis na região de Yanque. Mas só poderemos afirmar com certeza depois que chegarmos nestas regiões", disse Yamilla à emissora local RPP Noticias.

A governadora afirmou também que já enviou equipes de emergência para a região e viajará para os locais atingidos pelo tremor depois que concluir os procedimentos para pedir ajuda a outros Estados e ao governo central do Peru.

Também em entrevista á RPP, o ministro da Defesa, Marinano González, informou que foram enviados três helicópteros para os locais atingidos pelo terremoto. González diz que as autoridades receberam informações, não confirmadas, de que oito ou nove pessoas morreram. / EFE

 

Mais conteúdo sobre:
PeruTerremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.