Terremotos matam 180 e ferem milhares no Irã

Dois fortes tremores atingem noroeste do país; segundo governo, cifra de vítimas pode subir e socorristas enfrentam dificuldades

TEERÃ, O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2012 | 03h05

Dois fortes terremotos no noroeste do Irã deixaram ontem 180 mortos e mais de 1.350 feridos, segundo autoridades locais. Os tremores registraram pelo menos 6,3 graus na escala Richter, produzindo mais de 20 réplicas até o fim da noite de ontem. Assustadas, milhares de famílias tentavam abandonar a região.

Imagens da TV iraniana mostravam equipes de socorro tentando encontrar vítimas em meio ao entulho. Autoridades iranianas anunciaram que a cifra de mortos pode subir nas próximas horas. Segundo a imprensa de Teerã, A destruição concentrou-se em cerca de 60 vilarejos da zona rural e as equipes de socorro ainda tentavam chegar até as localidades mais remotas.

O primeiro tremor, com magnitude de 6,4 graus na escala Richter, ocorreu às 16h53 a 60 quilômetros ao norte da cidade de Tabriz. Onze minutos depois, ocorreu um segundo terremoto, de 6,3 graus, com epicentro a 49 quilômetros a noroeste da mesma cidade. Ambos tiveram profundidade de cerca de 10 quilômetros.

Segundo a agência estatal de notícias Fars, pelo menos 210 pessoas já foram resgatadas nas cidades de Varzaghan e Ahar, duramente atingidas no segundo tremor. Em Ahar, as pessoas correram para as ruas tentando escapar da tragédia.

"Como há pessoas em situações críticas e equipes de socorro ainda estão tentando resgatar alguns que estão sob os escombros, infelizmente é possível que o número de vítimas aumente", afirmou Bahram Samadirad, do governo provincial.

Sismos são frequentes no Irã e, em 2003, um violento tremor de 6,6 graus na escala Richter matou 25 mil pessoas e arrasou a cidade histórica de Bam, no sudeste do país. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.