Terror em Israel é "presente para o povo iraquiano"

Um palestino de 20 anos detonou uma bomba hoje diante de um café lotado na cidade israelense de Netanya, norte de Israel, suicidando-se e deixando pelo menos 30 feridos. O grupo Jihad Islâmica assumiu a autoria do ataque, o primeiroem Israel desde 5 de março - quando 17 israelenses morreram na explosão de um ônibus em Haifa - e o terceiro do ano.Fontes da Jihad disseram que o atentado era "um presente para o povo iraquiano" e acrescentaram que alguns de seus militantes suicidas já estão no Iraque para preparar ataques contrasoldados americanos, informou o jornal israelense Haaretz em sua página na internet.As forças anglo-americanas no Iraque estão em alerta máximo depois que um oficial iraquiano detonou sábado um carro-bomba, matando quatro soldados americanos em um bloqueio perto dacidade de Najaf, sul do país.O palestino, o único a morrer no ataque, foi identificado como Rami Muhamed al-Yami Ranam, de 20 anos, natural do povoado de Dir al-Rasoun, ao norte da cidade cisjordaniana de Tulkarem.O atentado ocorreu ao meio-dia diante do Café London. Um grupo de soldados que esperava na entrada do café por uma mesa impediu que o suicida entrasse no estabelecimento e detonasse lá dentro a bomba de dois ou três quilogramas de explosivos. Pelo menos seis pessoas estão internadas com ferimentos graves, entre eles alguns dos soldados. Em pânico, os clientescomeçaram a correr, derrubando mesas e cadeiras e gritando "terrorista, terrorista".Ainda hoje, o Exército de Israel matou dois palestinos armados que se haviam infiltrado em território israelense vindos da Faixa de Gaza. Os palestinos foram perseguidos por mais de umahora até serem mortos perto de um kibbutz em Erez, ao sul da localidade de Ashkelon, informou uma fonte do Exército de Israel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.