?Terrorismo é o lado escuro da globalização?

O ex-presidente dos EUA Bill Clinton disse, nesta quinta-feira, que os ataques terroristas de 11 de setembro são "o lado escuro" da globalização e que muito mais deve ser feito para que os benefícios do mundo moderno sejam distribuídos entre os pobres. Clinton proferiu um discurso como convidado de honra de um congresso da indústria de publicidade em Roma. Ele destacou os "heróicos" esforços de muitos ítalo-americanos que realizaram trabalhos de socorro no World Trade Center, incluindo a "liderança destacada" do prefeito de Nova York, Rudolph Giuliani. O ex-presidente também agradeceu a Itália por sua solidariedade e descreveu como "notável" a proposta do prefeito de Roma, Walter Veltroni, de que as cidades que pretendem ser sede dos jogos olímpicos de 2012 desistam de suas candidaturas em favor de Nova York. Clinton reafirmou que apóia a campanha antiterrorista do presidente George W. Bush e dos aliados dos EUA, mas que em sua posição de cidadão privado não poderia dar "conselhos públicos" sobre decisões táticas. No entanto, Clinton falou a respeito de suas reflexões pessoais sobre os temas da atualidade. O ex-presidente disse, por exemplo, que a luta contra a pobreza mundial é um componente crucial no combate ao terrorismo. "Em muitas nações em desenvolvimento, a população é cada vez mais jovem e cada vez mais pobre, e a carência de educação, a contaminação ambiental e doenças como a aids ameaçam grandes regiões do mundo e, com isso, a estabilidade internacional", afirmou. Ele finalizou dizendo que as nações do mundo "reduziriam a quantidade de terroristas em potencial e aumentariam a quantidade de sócios potenciais, caso dessem atenção a esses problemas". Leia o especial

Agencia Estado,

25 Outubro 2001 | 17h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.