Terrorista americano declarado culpado de 161 homicídios

Quase uma década depois do atentado contra um edifício federal na cidade de Oklahoma, Terry Nichols foi declarado culpado de 161 acusações de homicídio, por ter ajudado na ação. Desta vez, ele poderá ser condenado à morte, sentença da qual escapou quando foi declarado culpado, na década de 90, pelo mais grave atentado em território dos Estados Unidos antes de setembro de 2001. Os promotores de Oklahoma propuseram o caso por homicídio múltiplo com a meta de obter a pena de morte para Nichols, que cumpre prisão perpétua por crimes federais. Agora, o mesmo júri de 12 membros decidirá o destino de Nichols pelos assassinatos, que configuram crime estadual: prisão perpétua ou a morte por injeção letal. Os promotores argumentaram que Nichols trabalhou muito próximo a Timothy McVeigh, seu ex-companheiro de Exército, para adquirir os ingredientes e construir a bomba, à base de combustível e fertilizantes, num plano cujo objetivo era o de vingar a ação do governo contra uma seita religiosa em Waco, Texas, exatamente dois anos antes. Na explosão de 19 de abril de 1995 contra o edifício federal Alfred P. Murrah, morreram 168 pessoas. McVeigh foi executado em junho de 2001.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.