Terrorista de Lockerbie vai a ato pró-Kadafi

TRÍPOLI

, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2011 | 00h00

Um ato em solidariedade ao ditador da Líbia, Muamar Kadafi, realizado ontem contou com um participante inesperado: o homem acusado de ser o principal mentor do atentado que derrubou um avião da Pan Am sobre Lockerbie (Escócia), em 1988, matando 270 pessoas - a maioria americanos.

Com um lenço na cabeça, uma máscara hospitalar na região do queixo e sentado em uma cadeira de rodas, Abdel Baset al-Megrahi apareceu no vídeo transmitido pela rede de TV estatal líbia ao lado de partidários de Kadafi.

A imagem causou furor na Grã-Bretanha, que em 2009 decidiu libertar Megrahi, sob a alegação de que ele sofria de câncer de próstata e tinha apenas três meses de vida. Na ocasião, o terrorista foi recebido no aeroporto de Trípoli como herói.

"A aparição de Megrahi na televisão é mais um lembrete do grande equívoco que foi libertá-lo", disse o chanceler britânico, William Hague, durante uma entrevista coletiva.

Em 2009, o gabinete britânico era conduzido pelo trabalhista Gordon Brown, que apoiou a decisão do governo escocês de libertar o terrorista.

Na oposição, os conservadores, liderados pelo atual premiê, David Cameron, criticaram duramente a decisão de Brown, acusando-o de soltar Megrahi de olho em um contrato da empresa British Petroleum com o regime Kadafi. "A alegação de que ele (Megrahi) teria apenas três meses de vida não valia nada", criticou Hague. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.