Terrorista poderá comer prato vegetariano na última refeição

Timothy McVeigh, condenado à morte como autor do atentado que matou 168 pessoas em Oklahoma City, nos Estados Unidos, há seis anos, poderá ter como última refeição um prato vegetariano. Ele mostrou-se interessado por uma proposta feita pelo grupo de defesa dos animais People for the Ethical Treatment of Animal (PETA), que há poucos dias de sua execução o sugeriu a modificar o menu de seu último jantar.Primeiramente, o PETA convidou a direção do cárcere federal Terre Haute a realizar um gesto simbólico para deter os massacres dos animais. Entretanto, a direção da prisão respondeu negativamente ao pedido, mas McVeigh mostrou-se sensível à causa.Em uma carta manuscrita aos diretores do PETA, o terrorista expressou "compreensão" pela posição dos vegetarianos. "A verdade é que entendo muito bem a sua causa. Eu mesmo já visitei alguns matadouros", escreveu ele ao grupo.A palavra definitiva sobre a última refeição cabe a McVeigh. Segundo um comunicado difundido pelo Bureau of Prisions, o terrorista comerá seu último prato 12 horas antes de receber a injeção letal, prevista para as 7h (horário local) do dia 16 de maio.Habitualmente, segundo estatísticas, os condenados à morte não solicitam um menu refinado: hambúrguer e bata frita é o prato mais pedido, seguido de bisteca e pizza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.