Terrorista preso em Mumbai confirma que é paquistanês

Mohammed Ajmal Amir é o único participante capturado vivo durante o atentado que matou 179 pessoas

Efe,

23 de março de 2009 | 06h57

O único terrorista capturado vivo durante o atentado que matou 179 pessoas em Mumbai, em novembro do ano passado, compareceu nesta segunda-feira, 23, pela primeira vez a um tribunal especial, ao qual confirmou que é de nacionalidade paquistanesa.

 

Mohammed Ajmal Amir conhecido como "Kasab" apresentou-se ao juiz especial M.L. Tahiliyani por meio de videoconferência, já que a sala onde será o julgamento, dentro da prisão Arthur Road de Mumbai, ainda não está preparada, segundo as agências indianas PTI e Ians.

 

O magistrado lhe perguntou se ele queria assistência legal, ao que Kasab respondeu: "se vai haver um julgamento, então preciso de um advogado".

 

O acusado, que responderá por homicídio e tentativa de homicídio, crime de guerra contra a Índia e outras acusações, foi preso em Mumbai durante os três dias do atentado à cidade, entre 26 e 29 de novembro de 2008.

 

Outros nove membros do comando terrorista morreram em seus confrontos com policiais e militares.

 

"Kasab" recebeu uma cópia da folha de acusações contra ele, com mais de 11 mil páginas, nas quais há 47 acusados.

 

Além dele próprio, estão relacionados os nove terroristas mortos, dois cidadãos indianos que hoje também compareceram ao juiz e 35 foragidos, que as autoridades indianas suspeitam que se encontrem no Paquistão e que pertençam ao grupo caxemiriano Lashkar-e-Toiba.

Tudo o que sabemos sobre:
ÍndiaatentadoMumbaiPaquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.