Terrorista suicida de Londres teria trabalhado para o Governo

Mohammad Sidique Khan, um dos quatro terroristas responsáveis pelos atentados de 7 de julho contra a rede de transportes de Londres, que mataram 52 pessoas, trabalhou por algum tempo para o Governo britânico, revela hoje o jornal "The Independent". Como funcionário do Ministério de Comércio e Indústria em meados dos anos 90, Khan colaborava na promoção de empresas britânicas na Ásia graças a seus conhecimentos dos idiomas urdu e punyabi. Ele também ajudou a Polícia da cidade de Leeds (centro da Inglaterra) a acalmar os confrontos entre gangues juvenis rivais antes de trabalhar numa escola de ensino fundamental. Seu carisma e empatia serviram para o recrutamento de terroristas suicidas como Shahzad Tanweer e Hasid Hussain, diz a publicação, que obteve essas informações amparada na nova lei britânica sobre Liberdade de Informação. Antes de começar a trabalhar no Ministério de Comércio e Indústria, em agosto de 1995, Khan viajou aos Estados Unidos, de onde voltou vestido com botas e jaqueta de couro. Khan deixou seu emprego no Governo para estudar administração de empresas na Universidade Metropolitana de Leeds. O jovem muçulmano sentiu-se frustrado com o Islã moderado praticado por seu pai e começou a freqüentar a mesquita, onde se radicalizou. O serviço de espionagem britânico acredita que no Paquistão, para onde viajou em 2004, após pedir licença por doença na escola em que trabalhava, Khan e o também terrorista suicida Tanweerse encontraram com extremistas islâmicos. Khan morreu e matou outras sete pessoas ao detonar a bomba que carregava na estação de metrô de Edgware.

Agencia Estado,

11 Março 2006 | 11h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.