Terroristas compram passaportes na África do Sul

Militantes da Al-Qaeda e outros terroristas que viajam pela Europa obtiveram passaportes sul-africanos. Autoridades acreditam que os documentos foram obtidos com quadrilhas que atuam dentro do governo. A distribuição ilegal dos passaportes, que permitem entrar em diversas nações africanas e no reino Unido sem a necessidade de visto, causou choque na África do Sul depois que uma alta autoridade policial disse que ?caixas e caixas? dos documentos foram encontradas em Londres.Barry Gilder, diretor-geral do Departamento de Assuntos Internos, disse ter encontrado diversos casos em que passaportes sul-africanos foram descobertos nas mãos de supostos agentes da Al-Qaeda ou cúmplices na Europa. Gilder já foi vice-diretor da Agência Nacional de Inteligência.Ele não deu detalhes e descreveu os casos como ?isolados?, mas disse que seu departamento atua agressivamente para enfrentar a ameaça, destacando mais agentes experimentados para enfrentar a corrupção. Ele também falou na adoção de carteiras de identidade e de passaportes com microchips. Autoridades dizem que quadrilhas instaladas dentro do Departamento de Assuntos Internos vendem há anos carteiras de identidade e passaportes sul-africanos a partir de US$ 77. Os principais compradores são imigrantes que acham mais fácil entrar na Europa ou nos EUA com documentos da África do Sul.

Agencia Estado,

27 de julho de 2004 | 18h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.