Terroristas invadem sede de governo provincial do Iraque e matam 53

Atentado deixa quase cem feridos; governo culpa a Al-Qaeda, mas grupo não assuem autoria do ataque

estadão.com.br

29 de março de 2011 | 11h02

Atualizado às 14h48

 

BAGDÁ - Um grupo de homens armados invadiu nesta terça-feira, 29, a sede do governo provincial de Salah ad-Din, na cidade iraquiana de Tikrit, matando dezenas de pessoas antes de detonarem os explosivos que carregavam. No total, 53 pessoas morreram e 98 ficaram feridas, segundo fontes oficiais.

 

Segundo as autoridades, os terroristas usavam uniformes da polícia e enfrentaram os agentes que faziam a guarda da sede do governo provincial. A cidade onde ocorreu o ataque é o local onde nasceu o ex-ditador iraquiano Saddam Hussein.

 

Dentro do edifício, eles abriram fogo indiscriminadamente e atiraram granadas contra os oficiais do Exército que chegaram ao local posteriormente. De acordo com fontes locais, havia poucos conselheiros no prédio porque a sessão de discussões já havia terminado.

 

Os terroristas colocaram fogo nos corpos de três conselheiros provinciais que estavam no prédio. Um deles era conhecido por sua postura crítica à Al-Qaeda no Iraque. A organização terrorista é considerada a responsável por trás do ataque, embora nenhum grupo tenha assumido sua autoria. O governador de Salahuddin, Ahmed Abdullah, qualificou o incidente como "um episódio trágico promovido por terroristas".

 

Entre os mortos está também o jornalista iraquiano Sabah al-Bazi, correspondente do canal Al-Arabiya e colaborador da Reuters e da CNN.

 

Com Efe e Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueTikritataquemortosreféns

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.