Terroristas peruanos querem melhores condições na prisão para o chefe

Membros do grupo terrorista peruano Sendero Luminoso enviaram cartas ameaçadoras aos meios de comunicação exigindo melhores condições carcerárias para o líder do movimento, Abimael Guzmán, informou a polícia nesta sexta-feira. Segundo os policiais, nas cartas manuscrits, enviadas a três emissoras de rádio e a um jornal, os supostos senderistas também pediram ao governo o fechamento da prisão em uma base naval no porto de Callao, perto de Lima, onde Guzmán cumpre desde 1992 pena de prisão perpétua por terrorismo e traição à pátria.Os remetentes querem a transferência do líder senderista para uma prisão comum. Nas cartas, disse a polícia, pede-se aos donos dos meios de comunicação a divulgação das mesmas "sob a ameaça de sanções drásticas, em caso de descumprimento". As mensagens foram colocadas na madrugada de quinta-feira, por baixo das portas das emissoras de rádio Wari, Melody e Atlantis e do jornal La Calle, informou a polícia.Foram lidas pelas duas primeiras estações e não pela terceira, que não explicou por quê se absteve. O jornal também não publicou a carta recebida - a pedido da polícia, segundo o diretor, Walter Muñoz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.