Tesouro britânico não quer passar fundos iraquianos aos EUA

A Grã-Bretanha não tem a intenção de entregar aos Estados Unidos cerca de 200 milhões de libras esterlinas (equivalente a cerca de 300 milhões) depositados em bancos britânicos e congelados durante a Guerra do Golfo, há 12 anos, escreveu o jornal The Guardian. O secretário de Economia, Gordon Brown, quer que o dinheiro seja controlado diretamente pela Organização das Nações Unidas (ONU), não pelo governo norte-americano, publicou o diário britânico. Segundo o jornal, Brown quer que os fundos sejam utilizados para o bem-estar do povo iraquiano. Na semana passada, o Departamento do Tesouro dos EUA decidiu confiscar ativos públicos iraquianos, de natureza não-diplomática, em território da União Européia (UE). Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.