Tesouro dos EUA investiga mais Fidel que Bin Laden

O governo americano tinha, no fim do ano passado, apenas quatro funcionários dedicados a investigar os fundos e contas de Osama bin Laden e Saddam Hussein, ao passo que cerca de 20 vigiavam o cumprimento do embargo contra Cuba, segundo um informe entregue ao Congresso pela agência do Departamento do Tesouro encarregada de bloquear os recursos financeiros de terroristas. Além disso, o Escritório de Controle dos Ativos Estrangeiros (ECAE) disse que entre os anos de 1990 e 2003 apenas iniciou 93 investigações relacionadas com o terrorismo, e recolheu US$ 9.425 em multas por violações às normas de financiamento ao terrorismo desde 1994.Em compensação, o ECAE iniciou desde 1990 um total de 10.683 investigações a respeito de possíveis violações ao prolongado embargo econômico contra o governo de Fidel Castro, e já recolheu mais de US$ 8 milhões em multas desde 1994 - em sua maioria, de pessoas que enviaram dinheiro a Cuba, fizeram negócios com a ilha ou viajaram para lá sem autorização. "O ECAE desempenha um papel-chave na guerra contra o terrorismo, porque tem a responsabilidade de eliminar as atividades que financiam o terrorismo", disse o senador democrata Max Baucus, que solicitou no ano passado as estatísticas dessa agência. Tal papel, acrescentou, "não tem nada a ver com o fato de haver americanos percorrendo a ilha de Cuba em de bicicleta".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.