Tesouro inglês deve cortar gastos públicos

O chefe do Tesouro Britânico, Alistair Darling, disse hoje que o governo deve tomar a decisão difícil de cortar gastos públicos para tentar deter o crescente déficit do país. Darling informou que o Reino Unido deverá anunciar aumento de impostos e corte de gastos do setor público na próxima quarta-feira, em uma proposta orçamentária. O governo disse que quer que metade do déficit britânico de US$ 290 bilhões seja sanado em quatro anos.

AE-AP, Agencia Estado

06 de dezembro de 2009 | 13h56

Ele prometeu, contudo, em proteger aqueles serviços principais dos quais as pessoas dependem mais, como a linha férrea Crossrail, que cruzará Londres. Darling acenou também com a possibilidade de que o aumento de imposto será maior para os mais ricos. "Em tempos difíceis como estes, o maior fardo deve ser carregado por quem tem ombros maiores", disse.

O Reino Unido está atravessando sua maior crise econômica em décadas e sua recuperação está atrás da registrada pelos Estados Unidos e pela Zona do Euro. A economia britânica recuou 0,3% no terceiro trimestre desde ano, de acordo com as estatísticas oficiais. O governo e o banco central inglês, o Bank of England, estimam que o PIB voltará a crescer no quarto trimestre. Para o próximo ano, a previsão de crescimento é de 2,2%.

Tudo o que sabemos sobre:
Reino Unidosimpostos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.