Tesouros coloniais ingleses vendidos por US$9 milhões

Cinco peças incrustadas de gemas raras, tesouros indianos colecionados pelo governador colonial inglês Robert Clive, foram vendidas por cerca de US$9 milhões (R$ 26 milhões) em rápidos lances, ontem à noite, pela casa de leilões Christie?s.A estrela do leilão, segundo anunciou hoje a Christie?s, foi um frasco incrustado em jade, originalmente feito para a corte mongol da Índia, no século 17, que foi arrematado por US$ 5,2 milhões (R$ 15,2 milhões).Durante a conquista colonial inglesa da Índia, o frasco fazia parte da corte imperial de Nova Delhi e acredita-se que foi um dos tesouros pilhados do imperador mongol Muhammad Shah pelo monarca persa invasor, Nadir Shah, em 1739. Um abanador de moscas tacheado de rubis foi vendido por US$1,6 milhão (R$ 4,6 milhões),e uma adaga decorada com florais de pedras, por US$1,3 milhão (R$3,8 milhões).Completando o lote, inclui-se uma hugga, cachimbo com safiras sobre esmalte azul, leiloado por US$169.000 (R$ 495.170,00) e uma vasilha de jade e nefrita verde pálido, por US$95.000 (R$ 278.350,00)Todos os itens, vendidos por descendentes da Clive, foram arrematados por compradores que permaneceram anônimos.Robert Clive, filho de um cavalheiro de Shropshire, no noroeste da Inglaterra, governou a Índia de 1765 a 1767 e acumulou uma rica coleção de artes decorativas indianas, que mais tarde levou para casa.?A sala de leilões estava totalmente lotada e houve uma grande quantidade de lances por esses objetos?, disse a porta-voz da Christie?s, Rhiannon Bevan-John. ?Eles são deslumbrantes exemplos dos tesouros mongóis da época. E quando se acrescenta a isso a proveniência de Clive, que foi uma figura histórica proeminente da época, e o fato de que objetos como esses raramente vão a leilão, é muita tentação para os colecionadores.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.