Testemunhas complicam situação de comandante

Alguns sobreviventes do Costa Concordia deram ontem depoimentos que complicam a situação do comandante Francesco Schettino. Monique Maurek, holandesa de 41 anos, disse que momentos antes do acidente ele estava bebendo no bar com uma mulher. "O que me escandaliza mais é que vi o comandante passando a maior parte da noite bebendo no bar com uma linda mulher", disse.

O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2012 | 03h01

A britânica Rose Metcalf, de 24 anos, uma das últimas tripulantes a deixar o navio, garantiu que Schettino foi um dos primeiros a abandonar a embarcação. Gravações das conversas entre ele e a Guarda Costeira também causaram indignação. Em vários momentos, Schettino afirma que estava coordenando o socorro, quando, na verdade, já havia abandonado o navio.

Nancy Cacopardo, italiana de 41 anos, reclamou que a maioria da tripulação era de origem asiática. "Era praticamente impossível nos comunicarmos com eles. Alguns até tentaram ajudar, mas a situação era caótica." / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.