Testes em armas suspeitas do Iraque são "inconclusivos"

Testes realizados por peritos dinamarqueses, britânicos e americanos em granadas de morteiro desenterradas semana passada no sul do Iraque contêm um agente irritante da pele e das mucosas, disse um porta-voz do Exército dinamarquês, mas mais exames serão necessários. Acredita-se que as 36 granadas, descobertas por tropas da Dinamarca, sejam sobras da guerra entre Irã e Iraque, travada de 1980 a 1988.Teste realizados pelos peritos em cinco dos mísseis não descobriram nenhum traço de armas químicas, disse o militar. No entanto, mais testes são necessários para que haja confirmação definitiva. Dois testes conduzidos por britânicos e outros dois, por dinamarqueses, deram positivo pra agentes irritantes, disse o capitão Kim Vibe Michelsen.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.