Tevê diz que Saddam presidiu reunião de seu partido

O presidente iraquiano, Saddam Hussein, presidiu uma reunião com seus colaboradores militares mais próximos, membros de seu governo e de seu Partido Baath, informou a TV estatal do Iraque. Apesar de não exibir nenhuma imagem do encontro, a TV estatal informou que Saddam e outros líderes exortaram os combatentes iraquianos a explorar o que eles chamaram de "exaustão" das forças de coalizão. Segundo a TV, os participantes da reunião se comprometeram a "causar o máximo de perdas humanas e de danos materiais aos inimigos", referindo-se às tropas americanas e britânicas. Ainda segundo a TV, participaram do encontro o filho caçula de Saddam, Qusai - que é comandante da Guarda Republicana -, o vice-presidente Taha Yassin Ramadan, e o vice-primeiro-ministro, Tariq Aziz. Um vídeo foi exibido pela TV de um outro encontro entre Saddam, Qusai, e membros do Partido Baath. A TV não deu detalhes sobre os assuntos discutidos nessa reunião. A TV estatal iraquiana, que tem sido alvo dos bombardeios anglo-americanos, vem sendo usada pelo governo iraquiano como uma arma em sua ofensiva contra o ataque liderado pelos EUA. Além de transmitir imagens dos locais bombardeados, dos feridos e hinos e músicas patrióticas, a TV vem divulgando declarações de funcionários iraquianos e de Saddam exortando seu povo a lutar contra os invasores. Tanto funcionários americanos como britânicos duvidam que as imagens de Saddam exibidas pela TV iraquiana sejam atuais. O serviço de inteligência britânico informou que o líder iraquiano foi ferido no primeiro dia de bombardeios contra Bagdá, na chamada "operação decapitação", que buscava eliminar a liderança do regime iraquiano. O jornal britânico Daily Mail informou hoje que Saddam se prepara para fugir para a Síria com sua família. Citando um ex-ministro iraquiano exilado em Londres, Haithan Rashid Wihaib, o jornal informou que a primeira mulher de Saddam, Sayida - mãe de Udai e Qusai -, e suas filhas Raghad, Rana e Hala, já teriam seguido para Damasco com três caminhões carregados de bens e 60 seguranças. A oposição iraquiana no exílio anunciou hoje que está planejando criar seu próprio governo para substituir o presidente Saddam assim que ele for deposto pelos EUA. O governo americano já advertiu que é contra a oposição declarar um governo provisório "neste momento" e o futuro do Iraque deve ser decidido pelos iraquianos no exílio e no país. Os planos para um governo de oposição foram revelados em um comunicado do comitê da liderança opositora, que inclui facções de curdos que controlam o norte do Iraque, um grupo xiita muçulmano apoiado pelo Irã e um grupo financiado pelos EUA. "Na véspera da libertação do Iraque, o comitê anunciará uma coalizão de transição independente para resolver os problemas do país e proteger a dignidade do povo, e sua independência, soberania nacional e unidade", indicou o comunicado. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.