Texas e Ohio podem representar o fim da linha para Hillary

Hillary Clinton, que até poucosmeses atrás era favorita absoluta para ser indicada peloPartido Democrata à Presidência dos EUA, pode ver seu sonhoacabar nesta terça-feira nas prévias de Texas e Ohio. Muitos analistas e até o marido de Hillary, Bill Clinton,consideram que só com duas vitórias expressivas nesses Estadosela parece capaz de conter a onda favorável a Barack Obama, queacumula 11 vitórias nas últimas semanas. As eleições primárias de terça-feira terminam às 19h30 emOhio (21h30 em Brasília) e às 21h no Texas (23h em Brasília).No Texas, porém, haverá "caucuses" (assembléias de eleitores)após o fechamento das seções. As pesquisas mostram duas disputas acirradas, e Obama, decerta forma, "joga pelo empate", pois acumula uma vantagem decerca de 150 delegados já comprometidos com a sua candidaturapara a convenção nacional de agosto. "Haverá gente na campanha dela que vai argumentar que umadecisão dividida (do eleitorado) é boa o suficiente para que(Hillary) continue," disse Cal Jillson, cientista político daUniversidade Metodista do Sul, em Dallas (Texas). "Mas, naprática, basta olhar para os delegados para ver que os númerosnão vão realmente ser benéficos para ela." Obama concorda com a tese de que, para prolongar a disputa,Hillary precisaria vencer nos dois Estados, que juntos enviam334 delegados à convenção. "Se formos bem no Texas e em Ohio, acho que a matemática étal que será difícil para ela conseguir a indicação. E elesterão de decidir por quanto tempo mais querem continuar", disseo senador em entrevista à rede ABC. Entre os republicanos, John McCain deve praticamente selarsua candidatura na terça-feira, já que as pesquisas indicamampla margem dele sobre seu maior adversário, Mike Huckabee.McCain já tem uma vantagem quase indestrutível em termos dedelegados para a convenção nacional. Os assessores de Hillary estão trabalhando intensamentepara tentar jogar a pressão sobre o adversário, mas não aceitamespecular sobre o que a senadora fará em caso de empateeleitoral na terça-feira, quando há votação também em doisEstados pequenos: Rhode Island (onde Hillary é favorita) eVermont (Obama favorito). "Estamos muito otimistas com nossa chance de sucesso emOhio e Texas. Se o resultado for diferente, aí nósconversaremos", disse Howard Wolfson, porta-voz de Hillary. Seguindo o exemplo do marido, apelidado de "Comeback Kid"("garoto da virada") na campanha de 1992, Hillary já desmentiuprevisões apocalípticas em New Hampshire, em janeiro, quando aspesquisas davam o favoritismo a Obama, que vinha de uma vitóriana disputa inicial, a de Iowa. Semanas depois, porém, ela sofreu uma derrota fragorosa naCarolina do Sul, e Obama recebeu o apoio de políticosimportantes, o que lhe permitiu chegar com força à"Superterça-feira," quando houve disputas em praticamentemetade do país. A "Superterça" terminou com vitória de Obama namaioria dos Estados, mas com triunfos de Hillary nos maisimportantes -- Califórnia, Nova York e Nova Jersey. "Isto vem sendo uma montanha-russa, e cada vez que aspessoas tentam encerrá-la de antemão os eleitores voltam edizem 'um minutinho, queremos dizer algo"', disse Mark Penn,marqueteiro de Hillary, a jornalistas. "Vejamos o que dizem os eleitores, vejamos como fica asituação na quarta-feira, e acho que estará bastante clara,"afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.