REUTERS/Texas Department of Criminal Justice
REUTERS/Texas Department of Criminal Justice

Texas executa detento que assassinou adolescente e bebeu seu sangue após uma festa

O latino Pablo Vásquez receberá uma injeção letal na prisão de Huntsville e se tornará o 11º réu executado este ano nos EUA

O Estado de S. Paulo

06 Abril 2016 | 09h51

AUSTIN - O Estado do Texas, nos EUA, planeja executar nesta quarta-feira, 6, o detento Pablo Vásquez, um latino de 38 anos que em 1998 assassinou um adolescente após uma festa e bebeu seu sangue.

Vásquez receberá uma injeção letal na prisão de Huntsville às 18h (horário local). O latino será o 11º réu executado este ano nos EUA e o 6º no Texas.

De acordo com sua confissão, Vásquez foi a uma festa na cidade fronteiriça de Donna acompanhado de seu primo de 15 anos, Andy Chapa, e um amigo, David Cárdenas, de 12 anos.

Passada a meia-noite e após consumir drogas e álcool, os três saíram da festa. Foi então que Vásquez, que na época tinha 20 anos, bateu em Cárdenas com um encanamento, lhe cortou a garganta, bebeu seu sangue, arrancou seus dois braços e arrastou o corpo, com a ajuda de um amigo, até um terreno descampado, onde tentou enterrá-lo.

"Não sei, de repente perdi a consciência. Comecei a escutar vozes em minha cabeça e disse a meu primo que alguém estava me dizendo 'mate-o, mate-o'", confessou Vásquez à polícia.

Policiais encontraram o corpo de Cárdenas depois de quatro dias, e uma pista anônima conduziu os investigadores a Chapa e depois a Vásquez, que havia fugido para Houston após cometer o crime.

Chapa cumpre pena de 35 anos de prisão. Além disso, três familiares dos primos foram condenados a penas menores por ajudarem Vásquez a fugir e um outro foi deportado à Guatemala. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.