Texas executa mulher que deixou criança morrer de fome

Lisa Coleman, 38 anos, foi a segunda americana executada este ano no Estado e a 15.ª nos EUA desde a volta da pena de morte, em 1976

O Estado de S. Paulo , O Estado de S. Paulo

17 de setembro de 2014 | 21h03

HUNTSVILLE - O Estado americano do Texas executou na noite desta quarta-feira, 17, uma mulher acusada de torturar e deixar morrer de fome o filho de sua amiga de apenas 9 anos, há uma década. 

Lisa Coleman, 38 anos, recebeu a injeção letal após a Suprema Corte dos EUA rejeitar sua última apelação. Sua morte foi pronunciada às 18h24 (hora local), 12 minutos após funcionários do Departamento Criminal do Texas administrar a dose letal de pentobarbital. 

Ela foi o nono condenado e a segunda mulher a receber a injeção letal este ano no Texas. Em todo o país, trata-se da 15.ª mulher a ser executada desde que a Suprema Corte permitiu a volta da pena de morte nos EUA, em 1976. Durante esse mesmo período, cerca de 1,4 mil homens sofreram a penalidade. 

A americana foi condenada pela morte de Davontae Williams, cujo corpo magérrimo foi encontrado em julho de 2004 no apartamento que Lisa dividia com a mãe do menino, Marcella Williams. 

Paramédicos que encontraram o menino morto disseram, na época, que ficaram chocados ao descobrir sua idade. Ele tinha o peso correspondente ao de uma criança com a metade da sua idade: 16 quilos. Um pediatra afirmou, em seu testemunho durante o julgamento, que Williams tinha cerca de 250 ferimentos espalhados pelo corpo, incluindo queimaduras de cigarro.     

Após a condenação de Lisa ao corredor da morte, Marcella, 33 anos, conseguiu um acordo e cumpre prisão perpétua. / AP  

Mais conteúdo sobre:
EUAPena de MorteTexas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.