The Economist sugere renúncia de Berlusconi

A revista britânica The Economist sugere que o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, renuncie ao cargo até que sejam concluídos os vários processos judiciais em que ele é acusado de corrupção. Poucas semanas antes de a Itália assumir a presidência rotativa da União Européia, a revista diz, no editorial da edição que saiu hoje, que Berlusconi é "indigno de liderar a Europa".No começo desta semana, Berlusconi compareceu a um tribunal de Milão, onde é julgado sob a acusação de ter subornado juízes, e se declarou vítima de um complô. Na quarta-feira, ele apresentou no Parlamento italiano um projeto de lei que o torna imune a quaisquer acusações enquanto permanecer na chefia do governo."Se o senhor Berlusconi é mesmo vítima de um complô, ele precisa mostrar as evidências disso ao mundo. A maneira apropriada de fazer isso, para um homem em sua posição, é renunciar a seu cargo público e defender-se nos tribunais. Se e quando ele limpar completamente seu nome, os europeus poderão achar mais fácil tê-lo falando em nome da Europa", diz o editorial.O gabinete de Berlusconi não comentou o texto da The Economist.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.