Tia de imigrante cubano faz apelo por sobrinho

Quando Maria Parrado viu o sobrinho sentado em uma embarcação da guarda costeira, algemado e com um colete salva-vidas pela TV, desesperou-se. Seu sobrinho, Jorge Parrado Martínez, havia desistido da travessia de quase três quilômetros, enquanto seus outros três amigos tentavam chegar a nado até o litoral da Flórida.?Por favor, o enviem a qualquer parte, menos a Cuba?, disse. Maria acredita que Jorge Parrado será preso novamente. Ele já cumpriu 12 anos de prisão após ser detido em águas cubanas. ?Nunca voltarei a vê-lo com vida se ele voltar para a ilha?.Os cubanos que pisam em terra firme geralmente são admitidos como exilados políticos. No entanto, refugiados que são capturados no mar são repatriados.Ontem, Parrado e mais três amigos abandonaram a precária embarcação e tentaram seguir a nado até o litoral da Flórida. Parrado, cansado desistiu. Os outros três, ao chegarem em terra firme, comemoraram e, em seguida, foram presos por uma patrulha de fronteira e enviados a um centro de dentenção no condado de Maimi-Dade. Parrado será entrevistado por autoridades de imigração para determinar sua situação na ilha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.