Tibetano ateia fogo ao corpo na embaixada chinesa na Índia

Um ativista tibetano sofreu queimaduras nas pernas após colocar fogo em si mesmo em frente à embaixada chinesa na Índia, na sequência de uma onda de autoimolações cometidas por tibetanos étnicos na China em protesto contra a repressão.

REUTERS

04 de novembro de 2011 | 10h36

A polícia deteve o manifestante de 25 anos Sherab TseDor e apagou as chamas que envolviam suas pernas, disse uma testemunha da Reuters.

"Ele está com queimaduras superficiais, pequenas queimaduras, mas foi levado pela polícia ao hospital", disse em Nova Délhi Youdon Aukatsang, um membro do parlamento do governo do Tibete no exílio, que opera a partir de uma cidade montanhosa do norte da Índia.

Aukatsang disse que TseDor, nascido na Índia, enviou uma nota pedindo o fim da repressão chinesa no Tibete.

A China governa o que chama de Região Autônoma do Tibete desde que as tropas comunistas invadiram o local, em 1950. A O país rejeita críticas de grupos de direitos humanos e tibetanos exilados e condena as autoimolações, que as autoridades chinesas consideram destrutivas e imorais.

O líder espiritual do Tibete, o Dalai Lama, fugiu nove anos após a ocupação, depois de um levante fracassado contra o domínio chinês. Ele agora vive na cidade indiana de Dharamsala.

Pelo menos 11 tibetanos atearam fogo a si mesmos este ano em uma região do sudoeste da China que se tornou o centro de rebeldia contra o rígido controle chinês.

Nun Qiu Xiang morreu queimada na quinta-feira na província de Sichuan, informou a agência Xinhua.

Na semana passada, um monge budista tibetano encharcou-se de combustível e ateou fogo em si mesmo em Sichuan.

(Reportagem de Parivartan Sharma)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINATIBETINDIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.