Time terá de pagar US$ 106 milhões a ex-ditador indonésio

Após duas derrotas, Suharto vence batalha sobre reportagem que o acusa de desviar US$ 15 bi

Associated Press,

10 de setembro de 2007 | 13h57

A Suprema Corte da Indonésia condenou a revista Time a pagar US$ 106 milhões por difamação ao ex-ditador indonésio Suharto, que segundo a publicação teria "pilhado" US$ 15 bilhões durante seus 32 anos de governo, informaram fontes judiciais nesta segunda-feira, 10.  Capa da edição de maio de 1999 da edição asiática da revista, a matéria acusa a família do ex-ditador de ter transferido o dinheiro da Suíça para a Áustria antes que Suharto deixasse o governo em meio a turbulentos protestos pró-democracia em 1998. Usando o argumento de que o artigo difamava ele e o Estado indonésio, Suhartou entrou com um processo contra a revista na Corte Distrital de Jacarta, mas perdeu a ação. O ex-ditador apelou, e perdeu de novo.  No entanto, a Suprema Corte reverteu a decisão no último dia 31, condenando a publicação a pagar os US$ 106 milhões. "O artigo e as imagens danificam a imagem e a honra do pleiteador como um grande general retirado e o ex-presidente indonésio", disse o porta-voz da corte.  O advogado de Suharto, Muhamad Assegaf, recebeu se disse surpreso ao receber o veredicto. O ex-ditador, que hoje tem 86 anos, tomou o poder em 1965, em um sangrento golpe de Estado que deixou mais de meio milhão de pessoas mortas. Suharto governo o país com mão-de-ferro durante as três décadas seguintes, matando ou prendendo centenas de milhares de oponentes políticos.  Ele conseguiu escapar de processos por desvio de dinheiro público e nunca foi julgado por abusos aos direitos humanos.

Tudo o que sabemos sobre:
IndonésiaSuhartoTime Magazine

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.