Tímida comemoração marca anversario de morte de nove anos de Lady Di

Admiradores da princesa Diana deixaram flores nos portões da casa onde ela morava, nesta quinta-feira, data do nono aniversário de sua morte em acidente de carro em Paris. "Eu amava a Diana e venho aqui todos os anos", disse KathleenEdmonds, de 62 anos, uma das primeiras a chegar aos arredores do palácio de Kensington. "Ela era uma pessoa muito boa e acho que foi uma conspiração, pois as pessoas a usavam. Acho que mais deve ser feito em sua memória. Uma estátua, alguma coisa deveria ser feita", afirmou Kathleen. Diana, 36 anos, e seu namorado, Dodi Fayed, de 42, e Henry Paul, de 41, morreram quando o carro em que estavam bateu em alta velocidade em um túnel na capital francesa. O padre Frank Gelli, da igreja de St. Mary Abbots, nas proximidades do palácio, conduziu a reza da cerimônia anual, assistida por aproximadamente 100 pessoas. Muitos daqueles que compareceram são membros do Círculo de Diana, que se esforça para manter sua memória viva. Um dos fundadores, Margaret Funnell, quer realizar um evento em sua memória no ano que vem, na ocasião do décimo aniversário. "Acho que deveríamos ter uma cerimônia de agradecimento por sua vida, em algum lugar como St. Paul´s", disse Margaret, se referindo à catedral onde Diana e o príncipe Charles se casaram. A família real, como de costume, não participou de eventos públicos em razão do aniversário da morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.