Timor Leste reforça segurança para retorno de Ramos-Horta

O Timor Leste aumentou sua segurança naquarta-feira, ao longo do caminho até a casa do presidente JoséRamos-Horta, que retorna ao país dois meses depois de quasemorrer em uma tentativa de assassinato. Ramos-Horta, 58, ganhador do Prêmio Nobel, voou para acidade australiana de Darwin para fazer tratamento médicodepois de ter sido baleado e gravemente ferido no dia 2 defevereiro, em sua residência, em Dili. Ele volta para casa naquinta-feira. O veterano na luta pela independência sempre recusou asegurança reforçada e disse que vai retornar à sua isoladaresidência em Dili, apesar das autoridades de segurançaaconselharem que ele se mude para um local mais seguro. "A polícia do Timor Leste vai trabalhar com o Exército ecom a Força de Estabilização Internacional para fornecersegurança ao presidente o tempo todo, em sua casa, durante seudeslocamento e no gabinete", disse Juan Carlos Arevelo,vice-comissionário da polícia da Organização das Nações Unidas(ONU). "Temos um comboio completo para proteger o presidente comintervenção e participação em todos os elementos de segurançano país", completou. Faixas de boas-vindas foram espalhados pelas ruas, nocaminho entre o aeroporto e sua casa. Ramos-Horta quase morreu ao levar dois tiros quandorebeldes leais ao líder Alfredo Reinado o atacaram emfevereiro. O primeiro-ministro Xanana Gusmão também foi alvo deum atentado no mesmo dia. Ramos-Horta disse à CNN que vai sentir saudades dos dias emque podia se misturar ao povo, sem se preocupar com asegurança. "Em outros tempos, eu deixaria de lado a minha segurança ea minha comitiva e pegaria um microônibus para a cidade. Comoem outros países em desenvolvimento, nossos microônibus sãogeralmente lotados, com 20, 30 pessoas. As pessoas ficariamsurpresas e felizes ao me ver a bordo com elas", disse à CNN. "Fico triste com o fato de que estes prazeres podem teracabado para mim agora", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.