Timorenses queimam carros do governo e ONU em protesto

Dezessete carros do governo e da ONU, assim como cerca de 20 casas, foram incendiados entre quarta e quinta-feira em Díli por centenas de pessoas que protestavam pelo corte dadistribuição de arroz aos moradores, informaram fontes daOrganização.Antonio Leitão da Silva, diretor da Polícia da ONU (UNPOL) em Díli, disse à imprensa que sete agentes foram feridos durante os ataques e que 79 pessoas foram detidas.Segundo Leitão, os incidentes começaram na noite de quarta-feira, quando centenas de pessoas se concentraram em frente a um armazém do governo para exigir uma parte do arroz armazenado.O ministro do Interior, Alcino Barris, declarou hoje à imprensa que solicitou à UNPOL postos de segurança nos bairros mais conflituosos da capital para evitar novos ataques.O primeiro-ministro, José Ramos Horta, se reuniu nesta quinta-feira com membros de seu gabinete para tentar normalizar a distribuição de arroz em Díli, onde milhares de pessoas vivem em acampamentos de refugiados desde a onda de violência de maio.Em comunicado aos jornalistas, a Missão da ONU Integrada no Timor Leste (Unmit) constatou que a violência aumentou nas duas últimas semanas."A violência está irrompendo na vida diária de Díli", disse Atul Khare, administrador da Unmit. Ele acrescentou que a UNPOL aumentou as medidas de segurança nas áreas mais problemáticas.O Conselho de Segurança da OU criou a Unmit em agosto paraajudar os timorenses a restabelecer a ordem e sufocar a onda de violência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.