"Tínhamos medo", diz o filho de Vieira de Mello

"Sempre tivemos medo de que ele se ferisse em suas missões pela ONU, mas nunca pensávamos que um dia isso fosse ocorrer". A afirmação é do Laurent Vieira de Mello, um dos filhos do brasileiro Sérgio Vieira de Mello, morto em Bagdá após um atentado terrorista. Apesar de abalado com a morte do pai, Laurent aceitou conversar com a Agência Estado, e ficou surpreso ao saber que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva havia declarado três dias de luto pelo falecimento do representante da ONU.Laurent, estudante de 25 anos, vive nas proximidades de Genebra com o resto da família. Sem conseguir falar português, ele afirmou que todas as vezes que seu pai saía em missão, a família temia pelo pior. "Nós sempre tínhamos medo, mas esse era seu trabalho", disse. Segundo Laurent, ele ficou sabendo da morte do pai pela televisão, "como todo o mundo".Segundo o filho do brasileiro, o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, mandou sua mensagem de condolências à família. "Não pudemos atender ao telefonema dele (Annan) porque estamos muito abalados. Minha mãe está bastante abalada", disse. "Esses ataques não têm lógica. Como é que puderam fazer isso?", questionava o jovem.Sobre o destino do corpo de seu pai, Laurent explicou que a família ainda está avaliando como é que será transportado do Iraque.Segundo ele, a família recebeu indicações de que o governo brasileiro estaria disposto a fretar um avião para buscar o corpo de Sérgio Vieira de Mello. "Ainda não sabemos o que vamos fazer". Ele reconhece, porém, que existe a possibilidade de que seu pai seja enterrado no Rio de Janeiro, sua cidade natal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.