Tiros de fuzil quebram vidro da Casa Branca

Homem é acusado de disparar com AK-47 contra janelas da residência oficial de Obama

DENISE CHRISPIM MARIN, CORRESPONDENTE, WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2011 | 03h08

Em um incidente cercado de mistério, um homem de 21 anos foi preso ontem por agentes do serviço secreto americano depois de supostamente abrir fogo contra a Casa Branca.

Com um fuzil de assalto Kalashnikov, Oscar Ramiro Ortega-Hernández teria disparado na sexta-feira contra as vidraças da residência oficial do presidente americano. Barack Obama. Mas ele a família já haviam viajado para a Califórnia, quando supostamente foram efetuados os disparos. Ontem, o serviço secreto encontrou dois projéteis, no gramado da Casa Branca.

Ortega foi preso em um hotel perto da cidade de Indiana, Estado da Pensilvânia, pela polícia local. Ele deixara evidências no carro com o qual saiu em disparada, logo depois dos disparos, e no local onde se hospedara em Washington. Na mesma sexta-feira, ele havia sido abordado pela polícia de Arlington, cidade vizinha a Washington, por "comportamento suspeito", mas foi liberado.

Ortega tinha passagens pela polícia por violência domestica, resistência à prisão e porte de bebida quando ainda era menor de idade. Além da folha corrida, teria sido registrado seu "comportamento bizarro" e seu desaparecimento de casa há um mês. A polícia divulgou fotos nas quais Ortega mostrava suas tatuagens - seu nome nas costas e as contas de um rosário no peito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.