Tiros impedem aterrissagem de presidente colombiano

O helicóptero do presidente colombiano Alvaro Uribe teve que abortar uma aterrissagem neste domingo no município de Granada, a 200 quilômetros de Bogotá, quando foram ouvidos disparos contra a aeronave, informou o porta-voz da Presidência, Ricardo Galán. Segundo fontes do governo, os tiros são provavelmente de autoria dos guerrilheiros das Farcs."Quando o helicóptero presidencial chegava a Granada, escoltado por outros três helicópteros, se escutaram os disparos, que obrigaram a comitiva presidencial a regressar ao aeroporto de Rionegro", disse Galán. "Depois que foi assegurada a segurança no local, o presidente regressou e aterrissou sem problemas em Granada". Uma testemunha informou que nos arredores do povoado de 4 mil habitantes "se escutaram tiros e explosões, mas os autores não foram identificados". Uribe foi a Granada para assistir à cerimônia de reinauguração do município, que foi semi-destruído pela guerrilha em um ataque no final de 2000, quando 22 pessoas morreram. "Esta inauguração é um grande exemplo de como a comunidade se sobrepôs ao terrorismo", disse Uribe. "A comunidade já recobrou a confiança em seu próprio município e nas forças públicas para garantir sua segurança".O governo investiu US$ 1,6 milhão na construção de 110 casas, embora nem todas estejam concluídas. Também foram construídas 55 lojas comerciais, três parques e reformadas outras 120 casas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.