Tiroteio durante protesto deixa uma pessoa morta nos EUA

Tiroteio durante protesto deixa uma pessoa morta nos EUA

Ataque a tiros aconteceu na cidade de Louisville, em parque conhecido por abrigar manifestações contra a morte de Breonna Taylor, mulher negra morta pela polícia há três meses. Prefeito classificou incidente como 'tragédia'

Redação, O Estado de S. Paulo

28 de junho de 2020 | 02h16

Kentucky - Uma ataque a tiros deixou uma pessoa morta e outra ferida durante um protesto na cidade de Louisville, no Kentucky, EUA, neste sábado, 27. Segundo as autoridades locais, o incidente ocorreu no Jefferson Square Park, local conhecido por abrigar manifestações contra a morte de Breonna Taylor, uma mulher negra morta a tiros dentro da própria casa por investigadores há cerca de três meses.  

De acordo com informações da polícia, relatos indicam que o tiroteio teve início às 21h (horário local). Um comunicado informou que a área foi esvaziada e  agentes da divisão de homicídios foram enviados ao local. Não foram fornecidos mais detalhes.

O prefeito de Louisville, Greg Fischer, se manifestou sobre o ataque nas redes sociais, afirmando estar triste pela violência que eclodiu no local. "É uma tragédia que esta área de protestos pacíficos agora seja cenário de um crime", escreveu em seu perfil oficial no Twitter. 

Morte de Breonna Taylor

Segundo a imprensa local, Taylor dormia em sua casa com o namorado, Kenneth Walker, quando ouviu um forte barulho. Ao verificar o que era, percebeu que sua porta havia sido arrombada. Acreditando se tratar de um assalto, Walker pegou sua pistola — para o qual tinha uma autorização de transporte — e abriu fogo contra os intrusos, sem perceber que eram agentes da polícia, que não haviam se identificado e foram atender erroneamente um chamado relacionado a narcóticos.  

Os agentes responderam aos disparos com 22 tiros, dos quais oito atingiram o corpo de Taylor. A morte de mulher iniciou uma série de atos antirracistas em Louisville. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.