Tiroteio em base naval dos EUA deixa 3 fuzileiros mortos

O comandante da base do Corpo de Fuzileiros Navais em Quântico, Virgínia, coronel David W. Maxwell,

Agência Estado

22 de março de 2013 | 10h13

informou que o tiroteio no qual um fuzileiro naval matou um homem e uma mulher, que eram seus colegas de farda, antes de se suicidar, foi um fato que ficou isolado a um único prédio do complexo.

Maxwell disse aos jornalistas nesta sexta-feira que as autoridades foram chamadas no local por volta das 22h30 de quinta-feira (horário local), quando encontraram uma pessoa morta no quartel. Posteriormente, uma segunda vítima foi encontrada, ao lado do corpo do suposto atirador, que morreu em decorrência de disparos feitos por ele mesmo.

Os nomes dos mortos não foram divulgados porque os familiares têm de ser informados antes. Todos eram fuzileiros da ativa e trabalhavam na escola de aspirantes. Outros fuzileiros navais não quiseram fazer especulações sobre o motivo dos crimes, mas afirmaram que não há outros ferimentos ou episódios de violência ligados ao atirador. "Tudo se manteve isolado aos três fuzileiros", declarou o sargento Christopher Zahn, porta-voz dos militares.

A base permaneceu fechada por três horas e meia após os disparos, mas depois disso as operações voltaram ao normal. As mortes em Quantico acontecem dias depois de um acidente em Nevada que matou sete fuzileiros navais e deixou oito feridos. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAQuanticoatiradormortos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.