Pavel Golovkin/AP
Pavel Golovkin/AP

Tiroteio entre militantes e polícia na Chechênia mata 10

Ataque, ocorrido antes do discurso anual de Putin em Moscou relembra a frágil situação de segurança vivida na república separatista

O Estado de S. Paulo

04 de dezembro de 2014 | 09h52

 MOSCOU  - Pelo menos seis homens armados e três policiais morreram em trocas de tiros na capital da Chechênia, Grozny, nesta quinta-feira, disse o líder da região turbulenta no sul da Rússia.

O ataque, ocorrido antes do discurso anual do presidente Vladimir Putin sobre o estado da União em Moscou, relembra a frágil situação de segurança vivida na Chechência, mais de uma década após Putin ter enviado tropas à região para combater separatistas.

O líder checheno apoiado pelo Kremlin, Ramzan Kadyrov, escreveu em sua conta no Instagramm que "seis terroristas foram aniquilados" após terem aberto fogo contra um carro de polícia, matando três policiais, e depois invadiram os escritórios da mídia local.

Um porta-voz do Ministério do Interior da Rússia em Moscou disse que uma operação ainda estava em andamento em Grozny, mas não deu mais detalhes.

Segundo a agência de notícias russa Tass, Kadyrov disse que vários homens armados estavam cercados em uma escola no centro da cidade. Não estava claro se havia reféns. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaChechênia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.