Tiroteio marca aniversário da volta de Aristide ao Haiti

Um tiroteio pesado irrompeu quando a polícia haitiana invadiu uma favela habitada por seguidores do presidente deposto Jean-Bertrand Aristide, no dia que marca os 10 anos da volta do ex-presidente ao país, após seu primeiro exílio. Atualmente, Aristide está exilado na África do Sul. Ruas forma bloqueadas com lixo em chamas Policiais, em viaturas e a pé, entraram com rifles em punho na favela de Bel Air. Uma nuvem de fumaça se ergueu quando pessoas atearam fogo a pneus e lixo na favela. Mais cedo, membros do partido de Aristide, a Família Lavalas, haviam realizado uma manifestação pacífica, segundo a Rádio Plus. Em 1994, Aristide voltou ao Haiti com o apoio de tropas americanas, depois de ter sido derrubado por um golpe militar em 1991. Em fevereiro de 2004, ele teve de fugir do país para escapar de uma revolta armada. Tiros de armas automáticas também podiam ser ouvidos na favela de La Saline e no bairro Delmas. Ainda não há informação sobre mortos ou feridos. Uma onda de violência política na capital já deixou mais de 48 mortos nas últimas duas semanas, em tiroteios e decapitações. A porta-voz da polícia, Gessy Coicou, disse que 21 policiais foram mortos e 23, feridos em ação desde março. Tropas da ONU, comandadas pelo Brasil, patrulharam as ruas em blindados. Empresários pediram um "dia de protesto contra o terrorismo" e o apelo foi atendido por diversas pessoas que ficaram em casa, enquanto bancos, lojas e postos de gasolina permaneciam fechados.

Agencia Estado,

15 Outubro 2004 | 17h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.