Tiroteio no Empire State deixa 2 mortos, diz polícia de NY

Segundo os policiais, suspeito foi morto logo após o ataque; número total de vítimas ainda não foi confirmado

estadão.com.br,

24 de agosto de 2012 | 10h35

Texto atualizado às 12h35

NOVA YORK - A polícia de Nova York afirma que ao menos uma pessoa foi morta por um atirador em frente ao Empire State Building, nesta sexta-feira, 24. Segundo os policiais, o suspeito foi morto logo após o ataque. Pelo menos oito pessoas foram atingidas pelos disparos, mas o número total de vítimais ainda não foi confirmado.

Veja também:

link Internautas brasileiros comentam tiroteio em NY

blog VÍDEO: Polícia isola área ao redor do Empire State

blog VÍDEO: Equipes atendem feridos no Empire State

blog Bloomberg fala sobre o crime no Empire State

Um porta-voz dos bombeiros disse que recebeu uma ligação sobre o tiroteio logo após 9h (horário de NY) e que unidades de emergência chegaram ao local em poucos minutos. O tiroteio ocorreu ao lado do famoso arranha-céu, uma das principais atrações turísticas da cidade.

Veja galeria de fotos:

Tiroteio

Délia Anister, 33, que trabalha em um escritório perto do edifício de 102 andares, disse que ouviu vários tiros em sequência.  Ainda não se sabe a gravidade dos feridos, que foram levados para vários hospitais de Manhattan, entre eles o St.Luke e o Bellevue.

Segundo a edição digital do jornal New York Post, o motivo foi uma briga entre dois colegas de trabalho, mas não está claro se eles trabalhavam no edifício. A polícia descartou a possibilidade de ataque terrorista.

O edifício fica a dois quarteirões da estação da Pensilvânia, uma das principais de Nova York. O trânsito foi interrompido nas proximidades do edifício, situado na Rua 34, entre a Quinta e a Sexta Avenida de Nova York.

Pronunciamento

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, fez um pronunciamento de 12 minutos sobre o caso.

"É uma tragédia terrível", disse o prefeito de Nova York. "Não estamos imunes ao problema nacional das armas".

Outros casos

Os Estados Unidos já tiveram dois casos de ataques em massa no verão. No dia 20 de julho, James Holmes, 24, matou 12 pessoas durante a estreia do filme "Batman - o cavaleiro das trevas ressurge", em Aurora. Os promotores apresentaram 142 acusações contra ele: 24 de assassinato, 116 tentativas de assassinato, além de uma acusação de posse de artefato explosivo e outra de cometer crime com violência.

No dia 23 do mesmo mês, a polícia do Maine, nos Estados Unidos, prendeu um homem fortemente armado que transitava por uma rodovia levando recortes sobre o massacre de Aurora e que disse ter visto o novo filme do "Batman" com uma pistola carregada. No carro dele, os policiais acharam um rifle AK-47, quatro pistolas e várias caixas de munição, segundo autoridades do Estado.

 Em 5 de agosto,um homem armado matou seis pessoas e feriu gravemente três em um templo religioso de Wisconsin.

Com agências de notícias

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.