Tocha e bolsas param em luto por causa do terremoto na China

Revezamento está suspenso até quinta-feira; bolsas param durante vários minutos nesta segunda

Efe,

19 de maio de 2008 | 00h52

Ao se completar uma semana do terremoto de 7,8 graus na escala Richter, que deixou até agora na China pelo menos 32.477 mortos e 220.109 feridos, o revezamento da tocha olímpica foi suspenso durante três dias por causa do luto oficial e as bolsas vão parar nesta segunda-feira durante vários minutos. Veja também: O trajeto completo do revezamento da tocha pelo mundoTerremoto na China: mapa da destruiçãoAntes e depois da devastação O revezamento da tocha será adiado até quinta-feira, dia 22, em sinal de luto pelas vítimas do terremoto, informou à Agência Efe um porta-voz do Governo de Jiaxing. O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Pequim (Bocog, em inglês) tomou esta decisão neste domingo, depois que o Conselho de Estado (Executivo) decidiu estabelecer os dias 19, 20 e 21 de maio como jornadas de luto oficial, acrescentou o responsável. Tanto os mercados de valores de Xangai e Shenzhen como os de futuros de matérias-primas em Xangai, Zhengzhou e Dalian suspenderão sua cotação temporariamente, anunciou a agência oficial Xinhua. O Conselho de Estado ordenou o luto oficial e as bandeiras oficiais já estão hasteadas a meio mastro, enquanto todas as atividades de diversão pública foram suspensas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.