Toledo: Chávez não é o presidente da América Latina

O presidente Alejandro Toledo fez hoje duras críticas ao governante venezuelano, Hugo Chávez, por ter apoiado abertamente a campanha de um ex-oficial nacionalista que concorre às eleições presidenciais do Peru. O líder venezuelano enalteceu na terça-feira o tenente-coronel da reserva, Ollanta Humala, por representar "os índios do Peru" e seu povo "esquecido e abandonado". Ao mesmo tempo, Chávez classificou a ex-congressista Lourdes Flores, candidata conservadora rival e apoiada por Toledo, que lidera as pesquisas, de representante "da oligarquia"."Parece-me inadmissível, que fique claro. Hugo Chávez é presidente da Venezuela, não é presidente da América Latina", afirmou Toledo em entrevista à Radioprogramas. "Ele pode ter todos os petrodólares que queira, mas não vou permitir, como chefe de Estado, que ele se intrometa nos assuntos internos do Peru", acrescentou Toledo.Para o presidente peruano, Chávez vem "cometendo erros graves que tendem a desestabilizar a América Latina".Em resposta, o vice-presidente venezuelano, José Vicente Rangel, qualificou de "um fracasso" o governo de Toledo. "Observa-se que o mandatário peruano carece de capacidade de avaliação e suas opiniões políticas, sem dúvida, estão encobertas pelo imenso fracasso que caracteriza sua gestão", rebateu Rangel. "O governo venezuelano não desestabiliza, na verdade estabiliza a região quando ataca os problemas sociais que constituem a causa que alimenta a miséria, que representa a maior força promotora de desequilíbrio na zona."Os atritos entre Lima e Caracas começaram na semana passada depois que Humala fez uma viagem de surpresa à capital venezuelana, durante a visita do novo presidente boliviano, Evo Morales.Chávez, então, aplaudiu Humala por ter se unido a "essa batalha" contra o imperialismo.Quando o Peru chamou seu embaixador em Caracas para consultas, a Chancelaria venezuelana emitiu um comunicado negando que o governo Chávez pretendia influenciar a eleição presidencial peruana de 9 de abril, e garantindo que a Venezuela "respeita profundamente a soberania das outras nações".Agora, Toledo adiantou que tratará pessoalmente a questão com Chávez quando os dois se encontrarem na posse de Morales em 22 de janeiro na Bolívia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.