Tony Blair chega a Bagdá para uma visita surpresa

O primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, chegou neste domingo a Bagdá para uma visita surpresa, na qual deve reiterar seu apoio aos esforços para a reconciliação nacional no país, informaram fontes oficiais iraquianas.Blair reiterou o apoio do Reino Unido ao governo do primeiro-ministro iraquiano, o xiita Nouri al-Maliki, contra o terrorismo e a violência sectária no país.Em entrevista coletiva conjunta em Bagdá, primeiro-ministro britânico vinculou de novo a retirada das tropas britânicas do Iraque à "capacidade das forças iraquianas de manter a segurança" no país.Blair também insistiu em que os Estados, vizinhos do Iraque, "devem contribuir de forma efetiva com os esforços para restabelecer" a segurança no país.Blair e Maliki disseram que suas conversas se centraram também n apoio ao plano de segurança aplicado na província de Basra (500 quilômetros ao sul de Bagdá), onde estão estacionadas as tropas britânicas.O primeiro-ministro do Reino Unido deixou claro que as tropas britânicas, "da mesma forma que as americanas e o resto das forças da coalizão", vão se retirar quando as forças iraquianas forem capazes de proteger a segurança. "Quando as forças iraquianas estiverem preparadas, (as britânicas) vão se retirar", acrescentou.Blair admitiu que grupos terroristas e simpatizantes do derrubado regime baathista atuam no Iraque, mas "agora existe um governo democrático e o povo iraquiano não quer voltar para trás". "Por isso, temos que apoiar a democracia", afirmou.Por sua parte, Maliki disse que existe um acordo entre Bagdá e Londres para que a futura retirada das tropas britânicas de Basra "não seja de surpresa e não afete a estabilidade" da cidade, a segunda em importância do país.Reconciliação NacionalA chegada de Blair ao Iraque coincide com a realização da terceira Conferência para a Reconciliação Nacional, da qual participam representantes das diferentes facções políticas e religiosas para tentar reduzir a violência.O primeiro-ministro do Reino Unido tratou da situação no território iraquiano com as máximas autoridades da Turquia (vizinha do Iraque) e do Egito, países que visitou antes de chegar a Bagdá, em meio a uma viagem pelo Oriente Médio.Durante essa viagem, Blair deve visitar ainda Israel e os territórios palestinos. Este texto foi alterado às 14h30 para acréscimo de informação

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.