Tony Blair defende invasão do Iraque

O ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair declarou nesta segunda-feira que as forças do Reino Unido deveriam se orgulhar da invasão do Iraque, sob a alegação de que o país "progrediu muito" desde a deposição da ditadura de Saddam Hussein, em 2003.

AE, Agência Estado

05 de novembro de 2012 | 11h09

Em um raro comentário público sobre o assunto, Blair declarou hoje, durante uma conferência empresarial em Londres, que a economia do Iraque se transformou nos últimos anos, a partir do rápido aumento da receita com petróleo e dos investimentos estrangeiros no país árabe.

Ainda segundo Blair, houve uma drástica redução na mortalidade infantil. Ele admitiu, no entanto, que "partes do Iraque continuam a sofrer com o terrorismo e a tensão política".

Forças estrangeiras lideradas pelos Estados Unidos invadiram o Iraque em 2003 em busca de armas de destruição em massa que nunca vieram a ser encontradas. A população britânica realizou na época ruidosos protestos contra o envolvimento do país na guerra. A guerra que sucedeu a invasão do Iraque resultou na morte de mais de 100 mil civis. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueinvasãoBlair

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.