Toque de recolher por condenação de Saddam é mantido

Bagdá e duas províncias de maioria sunita estão sob um toque de recolher de 24 horas nesta segunda-feira, em razão da condenação à morte de Saddam Hussein por crimes contra a humanidade, e funcionários afirmam que a medida deve continuar indefinidamente. Celebrações isoladas da sentença do ex-ditador continuaram nas regiões do país de maioria xiita, onde não houve toque de recolher. Bagdá, que tem uma população mista de xiitas e sunitas, continua calma, apesar dos escritórios no aeroporto internacional estarem fechados e poucos carros e pedestres podem ser vistos nas ruas. Um porta-voz do Ministério do Interior creditou o toque de recolher à violência em torno do anúncio do veredicto no domingo, entre celebrações dos xiitas e protestos por parte dos apoiadores de Saddam em Tikrit, sua cidade natal. "Precisamos ficar de guarda para qualquer tipo de resposta dos apoiadores de Saddam", afirmou o brigadeiro Addel Karim Khalaf. Ele afirmou que as medidas de emergência devem ser suspensas na terça-feira de manhã. Em Hillah, de maioria xiita, ao sul de Bagdá, aproximadamente 500 pessoas caminharam pelas ruas na segunda-feira pela manhã, carregando cartazes denunciando a ex-ditador, acusado da morte de milhares de xiitas após um levante em 1991. "Sim, sim para o veredicto, que esperávamos há muito tempo", cantava a multidão, composta em sua maioria por estudantes e funcionários do governo. Evidenciando a crescente divisão entre xiitas e sunitas, aproximadamente 250 manifestantes pró-Saddam tomaram as ruas de Baqouba, de maioria sunita, a oeste de Bagdá. Eles foram dispersados por soldados iraquianos, por terem rompido o toque de recolher na província. Não há relatos de mortos ou feridos. Outros 400 manifestantes caminharam por Samarra, ao norte de Bagdá, contra o veredicto, e pedindo a saída do premier xiita Nouri al-Maliki, que pediu pela execução do ex-presidente. A violência sectária continua apesar das medidas de segurança extraordinárias, que implicaram no aumento das tropas em Bagdá,e da criação de mais postos de controle. Os corpos de 50 vítimas de assassinato foram encontrados no domingo, sendo a maioria em Bagdá, segundo o tenente Thaer Mahmoud afirmou. O toque de recolher foi temporariamente suspenso em Tikrit, para permitir aos moradores fazerem compras. Multidões raivosas se reuniram na cidade no domingo, segurando retratos de Saddam, e entoando coros prometendo vingar a sua execução. Saddam foi condenado pelo Supremo Tribunal Iraquiano por ordenar a execução de 150 xiitas na cidade de Dujail, após uma tentativa de assassinato do ex-ditador.

Agencia Estado,

06 Novembro 2006 | 09h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.